Abertura de Cursos de Mestrados no ISCED de Benguela

Abertura de cursos de mestrados em Educação Especial e Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa no ISCED vem responder a necessidades formativas na província de Benguela e conta com mais de cem inscritos.
A Coordenadora do Curso de Mestrado em Educação Especial, Professora Doutora Laurinda Baca, aconselha os candidatos a não temerem as provas de exames de acesso, por não terem critério eliminatório.
Na conversa que se segue, a Professora Doutora Baca revela os constrangimentos enfrentados e fala do impacto dos cursos de pós-graduação para o ISCED-Benguela, mostrando-se esperançada de que, num futuro próximo, o Ministério de Tutela aprovará, novos cursos pós-graduados para o instituto. Desde já, convidamo-lo(a) a acompanhar na íntegra esta interessante, elucidativa e apelativa entrevista.
www.ukb.ed.ao: Quais são os critérios de selecção para o pós-graduação. Quais são os requisitos exigido ao candidato? Fale-nos um pouco desse processo.
Professora Baca: Dizer que o processo está a decorrer dentro da normalidade. Inicialmente, havia uma previsão de ser até dia 22 de Janeiro, porém, por razões de pouca propagação da informação, porque também os documentos foram anuídos superiormente há pouco tempo, tivemos que rever as datas para a inscrição e tivemos que prorrogar até dia 31 de Janeiro. Vamos ver qual é o afluxo. Se por aí o número de concorrentes satisfaz ou ainda temos que tomar outras medidas.
www.ukb.ed.ao: Nesta altura, quantos candidatos estão inscritos?
Professora Baca: Até sexta-feira (26 de Janeiro, a entrevista foi feita no dia 31), tínhamos à volta de…aproximadamente 100 candidatos para os dois cursos de Mestrados, refiro-me ao Mestrado de Educação Especial e o Mestrado em Teoria de Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa. Com maior afluxo para o último.
www.ukb.ed.ao: Quais são os principais constrangimentos encontrados na implementação do processo?
Professora Baca: Nós notámos que existem alguns constrangimentos sobre o curso de Educação Especial, fundamentados pela pouca percepção das pessoas de quem deve se inscrever para este curso. As pessoas pensam que é “unicamente aquele que é ligado em Educação Especial, que tenha licenciatura em Educação Especial”, não é. Qualquer um indivíduo que seja licenciado e desenvolve a sua actividade virada para lidar-se com pessoas, este pode fazer esta formação, com maior abrangência para os professores, para o pessoal da saúde, para o pessoal que lida com os idosos, com os jovens, principalmente jovens com comportamentos desviantes, com crianças…todas essas pessoas. É para aquele que, eventualmente, tenha um familiar que carece de necessidades educativas especiais, …todos estes podem afluir a estes cursos.
Também há um constrangimento generalizado, que abrange os dois cursos, está ligada às médias. De facto, as médias exigidas, de acordo (com) o Decreto, o indivíduo tem que ter a média igual ou superior a 14 valores. Isto está a trazer um constrangimento e também nós, os especialistas, reunimos e analisamos a questão, estamos a realizar recursos, porque em nenhuma parte do mundo temos encontrado este padrão. O indivíduo quando vai a um Mestrado quer dizer que quer se superar, quer aumentar a sua competência, quer superar as suas dificuldades. Então vai para um nível academicamente superior para ir à busca desta qualidade. Agora, se nós vetamos esta possibilidade ao profissional de educação, da saúde, de qualquer outros serviços, quando é que ele se vai superar. Então temos estado a organizar recursos da Comissão Científica do Mestrado que agora vai ser homologado por outros órgãos superiores e encaminhamos a Luanda e isto poderá, até certo ponto, alterar aquilo que era o cronograma do início das aulas. Não vai começar, provavelmente, na altura das licenciaturas, mas sim vamos encontrar uma outra data, desde que nós cumpramos com o Calendário Académico, com todos padrões exigidos para que efectivamente os mestrados sejam de qualidade. Queremos que as pessoas afluam.
Também outro constrangimento que eu gostaria de acrescentar está ligado aos constrangimentos do factor monetário. Há candidatos que não se estão a inscrever, porque pensam que não vão aguentar os 90 mil (kwanzas). Porque, se de um lado a este constrangimento, (por) outro lado, também devo dizer que aqueles que forem seleccionados, eles devem recorrer à bolsas de estudo no INABE (Instituto Nacional de Bolsas de Estudos), para obterem bolsas internas e que essas bolsas internas estão orçadas em 120 mil kwanzas/mensal. Então se são 120 mil kwanzas mensal, significa que ele tem 90 mil para pagar e ainda sobra com 30 mil para poder gerir questões materiais de investigação, etc. Logo, todas estas questões estão salvaguardadas. Porém, é preciso mesmo dar o início inscrever-se para depois ir buscar outros passos, porque aquisição de bolsas não antecede a inscrição.
www.ukb.ed.ao: Os docentes do ISCED estarão isentos de propinas, ou seja, poderão beneficiar de alguma bolsa?
Professora Baca: As propinas estão estipuladas para todos, porque este curso auto-financiasse. Os padrões são os mesmos que ele vai à procura da bolsa no INAGBE, porque nós contamos não só com docentes nacionais para este mestrado, também contamos com docentes de outras nacionalidades, de outras universidades estrangeiras. Porque a determinada altura, nós poderemos inserir um seminário que precisamos de um convidado de fora, para poder dar este seminário e isto está salvaguardado naquilo que são os imprevistos, do ponto de vista do orçamento. Logo, se nós de repente dizermos que fulano tem bolsas, nós vamos decair. Já que o governo nos dá esta possibilidade, que essas pessoas vão buscar bolsas no INABE para poder custear os estudos.
www.ukb.ed.ao: São quantos docentes?
Professora Baca: Nós, neste momento, temos salvaguardado, no mínimo, 2 a 4 docentes para cada especialidade, no caso estrangeiros.
www.ukb.ed.ao : Qual é o tempo de cada etapa formativa?
Professora Baca: São dois anos: o primeiro ano é a parte curricular e o segundo a parte de investigação. E mais ano também até defender. E aqueles que defenderem a posterior, provavelmente os custos podem aumentar, por isso é bom que as pessoas cumpram com os tempos pré-estabelecidos.
www.ukb.ed.ao : Quantos módulos por cada semestre?
Professora Baca: Quero atrever-me falar do Mestrado de Teoria e Desenvolvimento Educativa que tem dez módulos. No caso do Mestrado em Educação Especial, tem 16 módulos. É um bocadinho mais complexo, mas, nesta primeira fase, nós vamos mesmo avançar com estes 16 módulos que são os aprovados. Mas nas próximas edições provavelmente nós consigamos fazer uma fusão de módulos que efectivamente os conteúdos tiverem duração e assim podermos ter menos módulos, obviamente.
www.ukb.ed.ao : Qual é o impacto desses cursos para a vida académica do ISCED?
Professora Baca: Primeiro, é uma mais-valia, porque, afinal de contas, nós saímos daquilo que é só o curso de graduação para passarmos os cursos Pós-graduação. E quando se passa para o curso de pós-graduação, eu gosto de sonhar alto, significa dizer que se eu tiver aberto um mestrado, dois mestrados… daí o próximo indicador é que posso abrir um doutoramento, isso vai melhorar também o nível de qualidade, não só no ISCED-Benguela, mas em toda a região. Porque, se fizermos o historial daquilo que é o ensino superior em Benguela, todas as instituição de Benguela evoluíram a partir do embrião ISCED, que hoje já temos as faculdades de Direito, de Medicina, Economia, temos o Instituto Politécnico. Queira que eu lhe diga que qualquer instituição em Benguela tem alguém formado pela Universidade Katyavala Bwila, com maior ênfase para Instituto Superior de Ciências de Educação.
Obviamente, com estes cursos de mestrado vai dar maior qualidade, prestígio e melhor atendimento e, quiçá, vamos resolver muitos problemas que afligem o próprio sistema Educativo na Província de Benguela, porque o que observamos, em muitos cantos, é um fiasco de ensino: escolas com boas qualidades, porém quase que ninguém aprova porque há “n” fenómenos não atribuídos não só aos professores, mas a todos os actores do processo. Se tivermos gente com competência de mestrado, então vamos aumentar o nível de especialistas e entrar nas comunidades para, em conjunto, percebermos os fenómenos dos baixos rendimentos escolares dos alunos e, a seguir, nós mudarmos esta vertente.
www.ukb.ed.ao: Haverão outras propostas de pós-graduação para o futuro, a julgar pelas 9 opções do ISCED?
Professora Baca: A tendência é esta, de abrir mestrado em Ensino das Ciências, de acordo (com) às necessidades do contexto. Nós vamos ver o quê que faz falta à província.
www.ukb.ed.ao: O ISCED-Sumbe não está a submeter os candidatos a exames. Por que razão é o que o ISCED-Benguela o faz?
Professora Baca: Nos primeiros cursos, nós também não tivemos. Nós tivemos um mestrado em Didáctica e foi meramente documental (por via de um currículo académico). Desta vez, nos foi imposto, por força do Decreto Presidencial, de que vai haver exames de acesso. Deixa-me ver (recorre ao Decreto) do mestrado em Desenvolvimento Curricular diz isso, em Educação Especial também diz isso. Realmente são coisas pouco raras. Aí não tem critério reprovativo, mas tem critério de selecção, para poder ocupar os lugares. Então é esta forma que se encontrou, creio, para que se preencham os lugares e sejam seleccionados os melhores. É a média dele exigido, no caso, mais o currículo, tudo isso estão a ser ajuizados, de modo que não interesse assustarem-se com os exames de acesso.
www.ukb.ed.ao: Como é que estamos em termos de bibliografia? Quantos títulos por unidades curriculares?
Professora Baca: Temos bibliografia e estamos à procura de mais bibliografia. Quantos mais tivermos, melhor é. Não lhe posso dizer quantos títulos, porque na academia é assim: nós fizemos uma proposta, mas provavelmente eu vá ler um jornal escrito pelo senhor Jornalista e que lá me diz respeito sobre algum elemento, que me faz falta para o meu trabalho. Aquilo é bibliografia sugestão, cada um é livre de ir buscar. Se pegar neste diário (içou o documento), eu posso fazer uma leitura e encontrar algo importante e então lançar no meu trabalho.
www.ukb.ed.ao: Muito Obrigado por tudo, Dra. Baca…?
Professora Baca: Obrigada.
Nota: Para mais informação, dirija-se as instalações do Instituto Superior de Ciências da Educação de Benguela (ISCED-B).
Por: Constantino Eduardo
Contactos da coordenação dos mestrados: http://iscedbenguela.org/
Educação Especial
Desenvolvimento Curricular e Inovação Educativa